VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 27 de dezembro de 2015

Buck Breaking/Quebrando o Valentão: O Estupro sistemático de Homens Negros durante a escravidão nos EUA


Pesquisa e Tradução: Aristóteles Kandimba.


Um escravo Negro amarrado ao tronco, tendo sido acusado de ser desafiante, descortês e de provocar problemas, era espancado com um chicote até sangrar na frente de toda a congregação de escravos. O senhor, proprietário de escravos, morrendo de medo de uma revolta, mandava cortar uma árvore e, com a ajuda do supervisor, golpeava o "Valentão"  em submissão. Logo após ao desgasto do escravo, o senhor branco ordenava os outros escravos a forçá-lo sobre o toco da árvore, onde as suas calças eram removidas expondo-o totalmente a disposição do malfeitor.  

O que viria a seguir causava medo e terror por todas plantações de escravos do Sul (Estados Unidos da América).




O senhor, ao se despir, explicava para todos, principalmente para os jovens negros mais fortes que, se eles não seguissem as ordens estritas e cumprissem os caprichos dele e do supervisor, que também teriam o mesmo destino, sodomizava selvaticamente o escravo na frente da sua esposa, família, amigos e filhos. Para terminar, convidava também seus associados de outras plantações a participar do que eles chamavam de “Festividade preta”.

Para que o seu plano tivesse efeito, o senhor exigia que a criança do sexo masculino do escravo assistisse de perto para que ele testemunhasse a humilhação sexual do seu pai.


“Buck Breaking/Quebrando o Valentão”, cena imortalizada no filme Pulp Fiction: Tempo de Violência  de Quentin Tarantino, foi uma das ferramentas mais eficazes que os senhores usavam para que nenhum dos seus jovens negros escravos se tornassem desafiantes e vingadores. No processo, também assustava as mães e esposas dos mesmos para que nunca dessem consentimento a uma revolta.

“Buck Breaking/Quebrando o valentão”  era um ato tão bem sucedido que se construiu um "Sex Farm/Fazenda de Sexo", onde os homens brancos podiam viajar de fazenda em fazenda alimentando suas necessidades sexuais sádicas.


Fonte: Diaryofanegress, Observations of an invisible woman.

Do livro “Black Matrix: Perception management Program used to Control Black People (c) 2006, de de Franklin Jones”.